Archive for ‘Economia’

22 de dezembro de 2016

Previdência: a natureza do sistema de repartição

Um bom texto para auxiliar no debate sobre a reforma da previdência que se avizinha. Uma análise que tira o debate da idéia rasteira, onde se justifica as mudanças com um simples cálculo matemático, e o coloca num patamar mais adequado! Artigo do Economista e Professor Carlos Pinkusfel Bastos, da UFRJ, publicado originalmente no site Brasil Debate.

A questão da previdência pública e a natureza do sistema de repartição

Uma vez compreendido que a previdência é um sistema de contribuição e transferência em dado período de tempo, e não um sistema de seguro intertemporal, revelam-se a possível natureza redistributiva que envolve seu debate e os ataques que sofre por setores da sociedade

A questão da previdência entrou definitivamente no centro do debate político e econômico como um elemento importante da agenda de reformas conservadoras. Tal discussão oscila entre debates contábeis, ideológicos e até demográficos. Sem diminuir a importância de tais questões, é curioso notar que, ao se tratar de um tema eminentemente econômico, o que menos se observa é, exatamente, o aprofundamento do debate, e confronto de ideias, segundo abordagens teóricas distintas.

read more »

9 de dezembro de 2016

A nova aposentadoria

Texto do professor Fernando Nogueira da Costa, da Unicamp. A reforma proposta pelo governo não eleito e sem legitimidade política na Previdência Social fará o brasileiro trabalhar mais tempo para, em muitos casos, receber uma aposentadoria menor do que a assegurada pelas regras em vigor, se a ala golpista do Congresso aprovar as mudanças. Só não fará isso se houver imensa pressão social contra esses congressistas oportunistas.

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição), apresentada no dia 6 de dezembro de 2016, define idade mínima de 65 anos e 25 anos de contribuição como condições para a aposentadoria de todos os trabalhadores, homens ou mulheres, incluindo funcionários públicos.

read more »

1 de junho de 2016

Quão ricos devem ser os ricos?

PaulKrugman_xArtigo de Paul Krugman para o New York Times (“Será necessária uma desigualdade tão grande?”). Esta não é uma pergunta à toa. Pode-se dizer que a política norte-americana substancialmente gira em torno deste tema. Os liberais querem aumentar os impostos sobre as rendas mais altas e usar o arrecadado para fortalecer a rede de segurança social; os conservadores querem fazer o contrário, alegando que as políticas que taxam os ricos prejudicam todo mundo, pois reduzem os incentivos para se gerar riqueza.

A experiência recente não tem sido boa para a posição conservadora. O presidente Barack Obama promoveu um aumento substancial das taxas de imposto para os mais ricos e sua reforma da saúde foi a maior expansão do Estado de bem-estar social desde LBJ [Lyndon Baines Johnson, ex-presidente dos EUA].

read more »

Tags:
9 de abril de 2016

Os ricos e os impostos

Artigo publicado na BBC Mundo por Marcelo Justo, com o titulo “Por que os ricos da América Latina estão entre os que menos pagam impostos no mundo.”

Ricos
O escândalo dos Panama Papers – o vazamento de mais de 11 milhões de documentos da firma panamenha Mossack Fonseca – fez mais do que tirar do anonimato atividades, legais e ilegais, de pessoas e empresas que mantêm contas em paraísos fiscais.

A exposição das manobras dos ricos e poderosos de todo o mundo para ocultar seu dinheiro e, em muitos casos, evadir impostos reacende o debate sobre a proporção entre as contribuições fiscais de pessoas em situação econômica mais privilegiada e o tamanho de sua fortuna.

read more »

Tags:
4 de abril de 2016

Os 28 bancos donos do mundo

Cidades_bancos
Qual a força dos 28 bancos que dominam as finanças do planeta?
 A crise mundial de 2008 mudou em quase nada quem são os detentores do poder financeiro global. Quase oito anos depois e em meio a sinais de uma estagnação global, o sistema financeiro do planeta segue dominado por 28 grandes bancos internacionais, chamados por alguns de seus críticos mais ferrenhos de a “hidra”.

“Os Estados são reféns desta hidra bancária e são disciplinados por ela. A crise prova esse poder”, afirma François Morin, autor do livro A Hidra Mundial, o Oligopólio Bancário, professor emérito da Universidade de Toulouse e membro do conselho do Banco Central francês.

“Os grandes bancos detinham os produtos tóxicos responsáveis pela crise, mas, em vez de reestruturá-los, os Estados acabaram assumindo suas obrigações – e a dívida privada se transformou em dívida pública.”

read more »

Tags:
4 de abril de 2016

O sistema social na França

A autora deste artigo (publicado no DCM sob o título “Como é o sistema de inserção social na França. Por Mônica Cossalter, de Paris”), Mônica Cossalter, foi bolsista do PRO-UNI do Mackenzie, instituição assustada com as altas performances dos PROUNISTAS. Formou-se em Letras com a nota máxima e fez mestrado na mesma instituição. Hoje é professora-doutura em uma universidade francesa, tradutora e escritora.

Mônica Cossalter

Mônica Cossalter

O Brasil é um país de quase 200.000.000 de cidadãos, palavra que, segundo qualquer bom dicionário significa, “indivíduo no gozo dos direitos civis e políticos de um estado livre”.

read more »

31 de março de 2016

Ponte para onde?

Antes de confirmar sua saída do governo, o PMDB com apoio do PSDB, desenvolveu um esboço de um projeto de governo para a era pós Dilma. Ficou pública a intenção quando divulgada no jornal Estadão do dia 27 de março, complementado por outra no dia 29

Postamos a baixo uma análise do projeto, escrito por Silvia Camurça, Carmen Silva, Verônica Ferreira e Paula de Andrade (da equipe do SOS Corpo), sob o título “Uma ponte para o passado – o ardil de conferir um caráter programático ao golpe do impeachment.”

pmsb_sai_governo
No ardil de conferir um caráter programático ao golpe do impeachment, lideranças do PMDB

read more »

22 de fevereiro de 2016

Novamente a previdência

Um ponto para contrapor a reforma da previdência, que começa a entrar com força na mídia e na classe empresarial como “a solução mágica”, que salvará o Brasil de todos os problemas. Entrevista de Amir Khair para o site Carta Capital sob o título “Nada justifica defender idade mínima para aposentadoria”

Superávit-primárioA população envelhece, a taxa de natalidade cai e, com esses argumentos, o governo Dilma Rousseff defende uma reforma da Previdência Social com foco na redução da idade de aposentadoria. Trata-se, no entanto, de um desvio de foco, justificado com projeções atuariais sem base técnica.

Além disso, se a dívida bruta como proporção do PIB explodiu, foi por causa dos juros, não da Previdência, defende o economista Amir Khair, ex-secretário de Finanças da Prefeitura de São Paulo e consultor nas áreas fiscal, orçamentária e tributária, na entrevista a seguir.

CartaCapital: Por que a reforma da Previdência é considerada urgente pelo governo?

Amir Khair: O governo precisa focar o problema mais importante das contas públicas e diz que é o da Previdência, mas não é. Ele está tentando enganar a todos.

read more »

Tags:
5 de outubro de 2015

Paul Krugman: economia mundial

Uma aula de Paul Krugman, publicado originalmente no site UOL sob o título de: “Por que a economia mundial continua cambaleando?”. Grifos do Blog.

paulKrugmanO que causou a queda das ações na sexta-feira? O que ela significa para o futuro? Ninguém sabe, e não muito. As
tentativas de explicar os movimentos diários das ações geralmente são inúteis: uma pesquisa em tempo real da quebra da Bolsa em 1987 não encontrou evidências de qualquer das racionalizações que os economistas e os jornalistas deram para o fato. Em vez disso, descobriu-se que as pessoas estavam vendendo porque –você acertou– os preços estavam caindo. E o mercado de ações é um péssimo guia para o futuro econômico: Paul Samuelson certa vez brincou que o mercado havia previsto nove das últimas cinco recessões, e nada mudou nessa frente.

Mas os investidores estão claramente nervosos, por bons motivos. O noticiário econômico dos Estados Unidos tem estado bom, mas não ótimo ultimamente, mas o mundo como um todo ainda parece notavelmente inclinado a acidentes. Há sete anos vivemos em uma economia global cambaleante, de crise em crise: toda vez que uma parte do mundo finalmente parece se reerguer, outra parte tropeça. E os EUA não podem se isolar completamente desses problemas globais. Mas por que a economia mundial continua cambaleando?

read more »

Tags:
16 de setembro de 2015

O Brasil e o ajuste fiscal

Algumas alternativas ao corte em gastos sociais  – propostos pelos neoliberais de plantão –  propagados como responsáveis pelos gastos excessivos do governo nas últimas déadas, podem ser lidos a seguir, em matérias publicadas pelo site Carta Capital.

levy
O governo anunciou na segunda-feira 14 alguns aumentos de impostos para tentar transformar o rombo de 30 bilhões de reais no orçamento de 2016 em uma sobra de 34 bilhões. Embora tivesse à mão um leque de opções capazes de tornar o sistema tributário brasileiro mais justo, o pacote tem propostas progressivas tímidas. O motivo foi o boicote do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Entre as medidas anunciadas, só duas atacam a injustiça da tributação nacional, concentrada na taxação do consumo, um modelo punitivo dos mais pobres.

read more »

Tags: